quinta-feira, agosto 11

Sim, sou anti-touradas


9 comentários:

D♥R disse...

Me 2

Bullfight is absolutely disgusting

Simone disse...

obrigada alison! :D

Simone disse...

obrigada alison! :D

Catarina disse...

obrigada*

Amêndoa disse...

ainda bem! :D
tipico de rapazes patetas!

soraiafontes disse...

eu não quero? eu quero lutar, gostava de ficar com ele. mas ele não luta e está mais virado para a amiga. não dá assim, não consigo..

Me disse...

Olá Alison, por acaso és uma Alison de outro blog? Ou este é o teu primeiro?

Até concordo que este anúncio tenha sido censurado, porque embora a mensagem esteja bem clara para quem o veja, pode também ser considerado um atentado à vida humana, isto é, como se fazia antigamente quando se julgava um traidor.
E é sem dúvida um anúncio que pode ferir as mentes mais sensíveis, por isso, se alguma vez decidirem passá-lo na televisão, deverá ser a uma hora apropriada para pessoas mais adultas.

Me disse...

Não sei se és a mesma, o teu blogue era em tons de azul e verde e acho que a tua imagem de perfil era qualquer coisa com um lago ou assim.

Me disse...

Em relação à tourada, sim, hoje em dia é definitivamente ridículo, absurdo, o que se lhe quiser chamar, fazerem isso com animais. Cada vez mais há protecções para animais e assim.
Mas as touradas remontam a um tempo antigo, dos Celtiberos, segundo a minha pesquisa.
Encontrei também isto: "as noções de força, bravura, poder, fecundidade e vida que simbolizam o sentido ritual e sagrado que o touro ibérico teve na Península" (http://pt.wikipedia.org/wiki/Tourada). Ou seja, o objectivo das touradas era inaltecer (não sei se será a palavra mais correcta, mas é a única que me vem à cabeça de momento) os touros, mostrar toda a sua bravura e força.

É de facto bárbaro torturar um animal para diversão. A espécie humana cada vez mais acha que está acima das outras espécies, e isto poderá não ser de todo verdade.

Um facto é que isto é tudo um ciclo, e se não forem os touros os sacrificados será outra coisa, porque parece que é impossível atingir-se a perfeição. Têm de haver os pontos negativos para equilibrar a balança.